sábado, 27 de março de 2010

"Sem falar nos motorista italianos..."


"Umersermofobia

Medo de conversar com motoristas de táxi

Para um umersermofóbico, o trajecto de táxi perfeito se dá em silêncio absoluto. Eles temem muitas coisas relativas a conversar com um motorista de táxi, mas, principalmente, o tom da conversa (…). Os acometidos sabem que a conversa não vai a lugar nenhum: ela pertence a um vácuo. Preferem ficar olhando pela janela, ajustar o cinto de segurança ou, para fazer o tempo passar, tentar decifrar qual é a relação entre a velocidade do carro e as mudanças de número no taxímetro. Alguns umersermofóbicos temem a conversa porque, inexplicavelmente, se sentem compelidos a partilhar informação demais (…). Os médicos já se perguntaram se a preocupação a respeito do tamanho da gorjeta está relacionada ao problema, mas, até agora, a conexão não foi comprovada. (Coincidentemente — e percebo que isso é revelar informação demais — o autor é umersermofóbico. Tendo dito isso, até onde ele sabe, é o único que passa seus trajectos a bordo de um táxi tentando imaginar como o taxista é em casa, se insiste em colocar a cadeira na frente da esposa e conversar com ela por cima do ombro).

(de: umerus, ombro; sermo, conversa)"

Você tem medo de quê? — Fobias modernas, trad. Ana Ban, São Paulo, Globo, 2008, p. 189-190.

3 comentários:

Dave disse...

AEE, achei achei Q

Cabei de ler as croniquinhas para Pipoca!

como anda a bebêzinha? :D

Juva Batella disse...

Que bom que gostaste, Dave. Fico feliz. Obrigado. Abraços, Juva

Dave disse...

mal posso esperar pra ler outro livro seu! E você ainda não disse como anda a Alice! Todo mundo na escola se apaixonou pela fotinha dela, ela é muuuito fofinha! Sem falar que ela tem o nome da minha prima q é super legalz XD

Tem twitter né? rs