quinta-feira, 2 de janeiro de 1997

“A palavra é imortal" / “O chef das palavras e o tempero do pensamento"

1997
VASSALO, Márcio, “A palavra é imortal — João Ubaldo Ribeiro aponta preconceito intelectual contra o humorismo e diz que escrever é um ato tão íntimo quanto fazer sexo”. “O chef das palavras e o tempero do pensamento — um dos autores mais traduzidos do Brasil, João Ubaldo Ribeiro mostra os ingredientes de uma conversa que alimenta a alma”, Lector, ano III, nº 24, 1997, p. 8-9.

Sobre humor:

JUR: “Monteiro Lobato é considerado menor porque está enquadrado no gênero infantil. Por sua vez, um intelectual de alto nível como Millôr Fernandes é subvalorizado porque é humorista. Ele não é considerado um escritor sério. (...) É uma grande maluquice. Recentemente, gravei uma participação no programa Casseta & Planeta. Fiz o papel de um (...) porteiro de um prédio inteligente. O prédio é tão inteligente que o porteiro é da Academia Brasileira de Letras. (...) Existe uma discriminação intelectual contra o humorismo”.

JUR: “A realidade é que não se aceita que um escritor abdique daquela postura grave, daquela cara séria que as pessoas estão acostumadas a ver. Como imaginar um escritor vestido de ninja, fazendo palhaçadas com aqueles molecotes do Casseta & Planeta? Ora, eles não são molecotes. O pessoal do Casseta & Planeta renovou o humor brasileiro”.

Nenhum comentário: