quinta-feira, 12 de janeiro de 1989

“João Ubaldo indaga sobre a alma humana"

1989-01-12
CARVALHO, José Reinaldo, “João Ubaldo indaga sobre a alma humana — No dia 21 de dezembro, primeiro do verão, o escritor João Ubaldo Ribeiro recebeu a reportagem da Classe na ilha de Itaparica (Bahia), ‘a terra mais brasileira que existe’, como diz um de seus personagens. Mais do que uma entrevista, o encontro com o criador de Sargento Getúlio e Viva o povo brasileiro foi um papo ameno, num banco da praça da Quitanda, num intervalo entre a cotidiana pescaria e o diurno trabalho para terminar o seu novo livro, O sorriso do lagarto, prometido para este ano”, A Classe Operária, 12 a 25 jan. 1989.

JRC: “Você acha que em Viva o povo brasileiro descobriu a alma do povo brasileiro? Foi isso que você perseguiu?"

JUR: “... eu tive o cuidado de evitar isso. Eu não me oponho a que se diga isso, nem acho ofensivo dizer que eu descobri a alma do povo brasileiro, mas não foi essa a minha intenção. (...) eu imagino que o leitor possa sentir isso, depois de ter lido o livro achar que compreendeu o povo, sua alma no sentido de entender a sua maneira de ser (...). Mas a expressão ‘alma do povo’, ‘espírito do povo’, é uma expressão associada com o nacionalismo de direita. Quer dizer, é a expressão Volk Geist em alemão, muito usada pelo nazismo, que quer dizer precisamente isto — espírito do povo. Eu não pensei nunca num negócio nacionalista. Eu fiz uma coisa sobre minha comunidade”.

Nenhum comentário: