sexta-feira, 24 de abril de 1987

“Viva o povo brasileiro pra inglês ler”

1987-04-24
GUSMÃO, Marcos & FREIRE, Alberto, “Viva o povo brasileiro pra inglês ler”, Caderno 2, A Tarde, Salvador, 24 abr. 1987.

JUR: “... aqui se fala pouco de mim mesmo. Eu mostro a vocês mais recortes a meu respeito em Londres, onde não sou grande sucesso (risos), do que aqui (...)”.

MG e AF: “Suas obras têm sido objeto de inúmeras teses de mestrado e doutorado. Como você vê estes trabalhos?”.

JUR: “Às vezes, é interessante, quando não é esterilizante. Uma obra literária é uma coisa viva. Por mais que esteja morto o autor e que o livro seja um objeto inanimado, toda pessoa que lê constrói e vive aquilo. Quando encaram o livro como um patologista encara um cadáver para dissecar, me deixa frio, um pouco impaciente, porque não é iluminador. Proscrevem a obra a um pseudoreinado da razão e somente a razão vai dar palpite. Aí você vira o idiota da objetividade e acaba produzindo uma coisa estéril, que não leva a ponto nenhum, porque só a razão não adianta”.

Nenhum comentário: